INCONTINÊNCIA URINÁRIA

Incontinência Urinária, o que é?

Incontinência é a perda involuntária de urina da bexiga em situações impróprias, devendo ser objetivamente demonstrável. A incidência de incontinência urinária na mulher aumenta com a idade, atingindo 25% após a menopausa. Estima-se que cerca de 40% das mulheres terão algum episódio de incontinência urinária no decorrer da vida.


Como se desenvolve?

A perda de urina pode ocorrer de forma transitória, geralmente associada ao uso de fármacos, a infecções (infecção urinária, vaginites), a constipação ou problemas de deficiência hormonal, desaparecendo após o tratamento da causa subjacente; ou pode ser persistente ou definitiva com instalação e piora progressiva. Muitas mulheres tornam-se incontinentes após o parto, histerectomia (cirurgia para retirada do útero) ou mesmo outros traumas na região pélvica. Entre os tipos mais comuns de perda de urina existe a incontinência urinária de esforço ou estresse: a perda de urina ocorre quando há um aumento repentino da pressão intra-abdominal como tossir, espirrar, rir, pular, correr ou realizar algum esforço.


Como se faz o diagnóstico?


O diagnóstico é clínico, baseado em uma história detalhada. Durante o exame físico pede-se para a paciente tossir, tentando reproduzir a perda urinária.Um exame de análise da urina deve ser realizado para excluir infecção. E o Estudo Urodinâmico? É um exame que vai determinar se existem outras alterações da bexiga e da uretra e classificar o tipo de Incontinência Urinária norteando quanto a melhor forma de tratamento se clínico, fisioterápico ou cirúrgico.

Suspeitas de infecções como a apendicite, doenças que afetam a tireoide e os vasos sanguíneos, cálculos na vesícula e nos rins também são detectados em poucos minutos. Há ainda a possibilidade de analisar o estrago de lesões ortopédicas em tecidos moles, como ligamentos e cartilagem.

Como se trata?

A O tratamento vai depender do tipo e das causas da incontinência urinária. Inclui medidas gerais identificando as possíveis causas da perda de urina.

Como se previne?

Para a prevenção deve-se instituir a rotina dos exercícios na região perineal, principalmente após o parto vaginal e após cirurgias sobre a região pélvica.

A cirurgia é dolorosa?

Atualmente utiliza-se cirurgias de alça “Sling” que pode ser realizada com anestesia tipo a que é feita para cesareana, e paciente recebe alta no máximo 24 horas.

Incontinência Urinária de Esforço

Paciente apresenta perda de urina ao realizar esforço que aumente a pressão intra-abdominal (tossir, espirrar, Ginástica, etc.) Hiperatividade Detrusora, paciente apresenta contração vesical não inibida durante o Estudo Urodinâmico.


Urgência Sensitiva

Paciente apresenta sintomas irritativos, porém durante o Estudo Urodinâmico estes sintomas são confirmados sem a contração vesical não inibida.


Incontinência Urinária por Transbordamento


A paciente perde urina devido ao grande volume intravesical que transborda.

Hiperatividade Detrusora Induzida Pelo Esforço

A Paciente apresenta contração vesical não inibida logo após esforço durante o Estudo Urodinâmico.

Hiperatividade Detrusora Secundária à Obstrução Infravesical

Paciente apresenta contração vesical não inibida durante a Cistometria e Obstrução no Estudo Miccional.

Como é feita a Cirúrgia de Sling ?

A cirurgia de Sling é a técnica mais moderna para o tratamento da Incontinência Urinária de Esforço.

Recomendação Pré Operatória “ANTES DA CIRURGIA”

1) Jejum de 8 horas, inclusive líquidos.

2) Não fumar ou usar drogas ilícitas nas 4 semanas que antecedem a cirurgia.

3) Entrar em contato com o médico, caso tenha alguma indisposição como febre, gripe, etc.

4) Não tomar Ácido Acetil Salicílico(Aspirina, Buferin,AAS) Gincobiloba, remédio para emagrecer Antiinflamatórios não hormonais(Volteren, Cataflan, Profenid e Outros).

5) Outras drogas e demais medicamentos consultar a equipe o mais breve possível.

6) Não ingerir bebida Alcoólica nas 48 horas que antecedem a cirurgia.

7) Tomar banho no dia da cirurgia com sabonete neutro.

8) Descansar bem no dia que antecede a cirurgia.

9) Aparar pelos da genitália e fazer Higiene rigorosa 1 dia antes da internação.

10) Levar absorvente higiênico e roupa intima confortável para a permanência até a alta hospitalar.

11) Evitar uso de maquiagem, jóias, relógios, esmalte escuro e etc. antes da cirurgia.

12) Levar todos os exames e receitas para o hospital no dia da internação.

Qual Material é usado na Cirúrgia Sling?

Esta é uma fita da tela de Polipropileno Monofilamentar e Macroporosa, mais indicada para cirúrgia de Sling Sintético.

Esta fita será colocada de maneira que simule a musculatura de um suporte sub uretral que evitará que a paciente perca urina ao realizar manobra de esforço.

Pode ser colocada  via retro-púbica ou trans-obturatória de acordo com o tipo de Incontinência a ser tratada.

Recomendações Pós-operatórias  “APÓS A CIRURGIA”

O repouso solicitado é de 15 dias. Lembre-se de que isso não significa ficar deitado, mas apenas evitar esforços, como carregar peso, atividades físicas, abaixar, levantar bruscamente.

Pode ocorrer sangramento durante 30 dias que vai diminuindo o passar do tempo.

Os pontos da cirurgia caem em forma de um corrimento por 20 dias.

Nos primeiros 30 dias deve evitar constipação intestinal

Evitar se possível, vômitos, tosses e espirros nos primeiros 15 dias, isso pode afrouxar a cirurgia.

As atividades voltam ao normal gradativamente,

Caso precise ir a uma festa de casamento, aniversário, a uma missa ou culto religioso ou evento parecido, liberado a partir do 2º dia da cirurgia desde que não exagere.

Dirigir, Carregar compras leves, passar roupa, cozinhar, varrer a casa. Esses afazeres corriqueiros retornam ao normal em 7 dias.

Atividades como secretária, médica, dentista, balconista, caixa de loja, advogada e outras que não requerem esforço físico retornam ao trabalho em 7 dias.

As atividades como Serviços gerais de condomínios, serviços braçais, etc. retornam em 15 dias.

Atividades que perecem uma verdadeira ginástica, que exige um abaixar, levantar, carregar muito peso, arrastar estruturas pesadas repetidas vezes, submetendo o corpo a posições de muito esforço com muita força abdominal, retornam depois de 20 dias;

Higienização diversas vezes por dia com água corrente, especialmente após urinar e evacuar nos primeiros 15 dias;

Abstinência sexual conforme a orientação médica de 30 dias;

Uso preferencial de calcinhas de algodão;

Caso necessário usar absorvente higiênico.

Evitar o uso de absorvente interno

Evitar banho de mar, piscina , banheira por 30 dias para evitar entrar aguar contaminada na vagina.

Evitar tabagismo, aumento de peso e exercícios físicos de grande impacto após a cirurgia para evitar recidiva da perda de urinar.

A revisão da cirurgia ocorrerá no consultório com em 14 dias, ligar e marcar após a cirurgia, em algum caso especial poderá ser antecipar.

ALGUMAS CONSIDERAÇÕES A RESPEITO DA CIRURGIA DE SLING.

1. A cirurgia de SLING consiste no reforço de músculo SUB URETRAL e estruturas que formam o assoalho da pélvis usando uma tela sintética de polipropileno, QUE É O MÉTODO MAIS MODERNO E COM MELHORES RESULTADOS SEGUNDO LITERATURA MEDICA ATUAL.

2.  POREM esta intervenção cirúrgica no processo de incontinência urinária não garantirá absolutamente a correção da mesma de modo permanente. Há uma porcentagem de fracasso de 10% NA PRIMEIRA CIRURGIA O QUE AUMENTA PARA 25 % EM UMA 2ª CIRURGIA 40 % EM UMA 3a CIRURGIA,

3. No caso de fracassar a intervenção, o estado da incontinência urinária não se acentua, salvo em casos excepcionais.

4. A via através da qual será realizada a intervenção será a vaginal , como  mostrado no filme e no final não ficara nenhuma cicatriz a mostra.

4. As complicações como em qualquer intervenção cirúrgica podem ocorrer, no caso da cirurgia de SLING com tempo cirúrgico de 15 minutos.

Raramente pode ocorrer:

a) Infecção de urina que pode ser tratada com Antibióticos;

b) Retenção de urina que melhora com o passar do tempo;

c) Dor nas pernas como se tivesse feito ginastica devido a POSIÇÃO de ABERTURA das PERNAS no momento da cirurgia que passa em 4 dias com uso de analgésicos.

Muito Excepcionalmente pode ocorrer:

a) Abscesso na zona da cirúrgica;

b) Hematoma ( SANGRAMENTO )na zona da ferida cirúrgica;

c) Deiscência ( Ruptura )nas suturas realizadas na intervenção;

d) Flebites e tromboflebites;

e) Embolia pulmonar; principalmente em fumante ou paciente com trombose prévia

f) Erosão da tela para a vagina, que poderá ser retirada sem que ocorra nenhum prejuízo para a paciente.

Reimplante do Canal Anal

Esta paciente de 18 anos nos procurou com uma alteração anatômica da região perinel pouco comun, anus vestibular ( ela tem o canal anal dentro da vagina, ou seja ela evacuava pela vagina) tivemos então que reimplantar o canal anal na região perienal como mostra as fotos abaixo.

Observe canal vaginal e canal anal dentro da vagina.